Como habilitar texto rico (WYSIWYG) no GLPI

Texto rico você sabe que é aquela barra de ferramentas do texto com ícones para editar e formatar seu texto. Você pode usar o editor de texto rico para incluir imagens, links, áudio e vídeo, bem como texto.  Às vezes chamado de editor WYSIWYG (What You See Is What You Get).

O GLPI a partir da versão 8.5 tem essa função integrada, que para ser utilizada não necessita da instalação de nenhum plugin.

Funciona tanto para a abertura de chamados:

Como para os acompanhamentos:

Para isso é só habilitar a opção Texto Rico em: Configurar > Geral > Assistência. Simples assim.

Habilitando Bridge no modem da NET – Thomson DWG874B

O modem a cabo Thomson DWG874B é um dos aparelhos distribuídos pela NET aos clientes. Vem configurado como roteador e wifi integrado. Funcionou muito bem por um tempo, porém quando mudei de plano, ampliando a conexão para 60MB, o mesmo passou a apresentar instabilidade de sinal, com constantes quedas. A solução foi ativar o modo Bridge do modem e colocar um roteador em uma das portas de rede, para fazer o roteamento e prover acesso Wifi.

Procedimentos:

  1.  Acesse a página de configuração do aparelho através do seguinte endereço:
    http://192.168.0.1
    Usuário: deixar em branco
    Senha: admin
    Clique na aba Wireless. Na seção Radio, altere a primeira opção, “Interface” de Enabled para Disabled. Clique no botão Apply no final da página.
  2. Dentro da interface de administração do modem, vá até: Gateway->Status->Switch Mode e onde esta “IPV4-Legacy Mode”, mude para Disabled.Neste momento o modem para de rotear, ou seja, já esta habilitado o modo bridge
  3. Teste, ligando o cabo de rede de uma das portas do modem ao computador.
    Neste momento o computador deve pegar um IP público e a internet deverá estar funcionando.
  4. Pode ser necessário (embora no meu caso não foi), pegar o MAC address  da placa de rede do computador e clonar no seu roteador. Como os procedimentos para isso depende do modelo do seu roteador, você deve procurar a WAN e clonar o MAC do modem e use DHCP como opção dessa WAN.
  5. Nessa forma de configuração, as outras portas LAN do modem não irão funcionar. Caso queira voltar atrás, independente se você deixou o IP original (192.168.0.1) do modem ou tenha colocado outro, quando deixar Disabled Mode no SwitchMode, ele só será acessível pelo endereço:  192.168.100.1 (tipo, se quiser reabilitar o modo router, aí você vai no SwitchMode e volta para o Legacy IPV4-Mode.). Toda a configuração de rede, firewall, e etc, você vai controlar agora pelo roteador e não mais no seu modem Thomson.
  6. Uma observação, nesse modo bridge, ao acessar a interface do modem pelo IP 192.168.100.1, aparece apenas as opções Gateway, Voip e Wifi

OpenWRT – Comandos úteis

Apenas para não esquecer

  • Transferindo a imagem da máquina local para o roteador com OpenWRT
    user@localmachine:~$ scp /caminho/do/arquivo/em/seu/computador root@192.168.1.1:/caminho/do/arquivo/no/roteador
    exemplo:
    # scp openwrt-15.05.1-ar71xx-generic-dir-615-e4-squashfs-factory.bin root@192.168.1.1:/tmp 
  • Atualizando a imagem transferida
    # cd /tmp/
    # mtd writeopenwrt-15.05.1-ar71xx-generic-dir-615-e4-squashfs-factory.bin linux && reboot
  • Restaurando a firmware original do roteador
    Transfira a firmware para o roteador utilizando SCP e rode o comando abaixo:
    # mtd -r write /tmp/original_firmware.bin firmware

 

kimovil.com – o site perfeito para escolher seu celular

Vocês já conhecem o site Kimovil?  É uma ferramenta interessantíssima para ajudá-lo na próxima compra de seu smartphone.

Exibe em detalhes as características técnicas dos modelos, assim como as respectivas performances e as principais funcionalidades. Ainda possibilita extrair informações sobre os preços e os sites a partir dos quais pode-se encomendar os equipamentos.

Um recurso legal, é a possibilidade de buscar celulares por câmera e ele já traz do melhor para o pior.

Outro mecanismo em destaque é a geração em PDF da maquete do celular, onde você pode imprimir, recordar e dobrar, assim terá a real dimensão e espessura do aparelho. Neste link um exemplo da maquete do Moto Z2 Play

Vale a pena dar uma olhada.

Link: https://www.kimovil.com/

Como adicionar uma mensagem aos usuários que estão efetuando login nas estações (Active Directory)

Solução ideal para exibir uma mensagem de boas vindas ou avisos específicos, logo após o usuário pressionar CRTL+ ALT+ DEL para logar em uma estação que faz parte de uma rede Windows Server.

Isso é feito inserindo uma política (GPO) a uma Unidade Organizacional (OU) do Active Directory.

  • Basta você ir até Active Directory Users and Computers, criar uma OU e inserir os computadores dentro da mesma.
  • Depois disso, vá em Group Policy Management Console (GPMC) para criar uma nova política vinculada a esta OU, conforme exibido abaixo:

Dessa maneira, como mostrado no exemplo acima, temos nova GPO vinculada a uma OU chamada HR.

  • Agora, clica-se com o botão direito sobre a nova GPO criada e em seguida selecionar a opção EDITAR.
  • Após clicar em em editar, vá até:
    Configurações do Computador > Configurações do Windows > Configurações de SegurançaDiretivas Locais > Opções de Segurança;

Em Opções de Segurança, observa-se que existem muitas políticas, mas para a nossa necessidade no momento, vamos editar somente duas, que são:

  • Logon interativo: texto de mensagem para usuários tentando fazer logon;
  • Logon interativo: título da mensagem para usuários tentando fazer logon.

Editando essas duas políticas, você estará colocando o texto que deverá aparecer aos usuários bem como o título da mensagem.

Após finalizado esta configuração, pode-se fechar o console GPMC.

Agora, é só esperar que essa política seja replicada, mas você também pode forçar esta replicação, para isso basta ir até uma das estações de trabalho e executar o comando no console:

  •  GPUPDATE /FORCE

Após isso, é só reiniciar a máquina e na tela de logon, após pressionar CRTL+ALT+DEL para se logar, sua mensagem irá aparecer como mostra a figura abaixo:

Funciona no Windows Server 2012 R2 também.

Como posso criar um projeto de intranet, com um bom layout?

Um ex-aluno me enviou esta pergunta recentemente:
“Como posso criar um projeto de intranet, com um bom layout”.

Bem, este tipo de pergunta pode gerar as mais diversas respostas, poderia indicar uma plataforma de Rede Social Corporativa, que é a tendência atual.

Poderia também recomendar algum Gerenciador de Conteúdo que permitisse gerenciar um projeto de Intranet, como o próprio WordPress, com alguns temas.

Mas independente da ferramenta adotada, creio que o mais importante em um projeto de Intranet é manter-se simples, então respondi com essas essas 5 dicas:

  1. Mantenha a simplicidade, tal que até mesmo um senhor de 60 anos de idade, sem muita experiência com computadores possa navegar e consumir informação
  2. Limite o uso de gráficos
  3. Minimize os espaço desperdiçados
  4. Otimize o layout para dispositivos móveis
  5. Certifique-se que o projeto é consistente em todas as páginas

Inclusive encontrei este material de referência bem interessante. Espero que possa ajudar outros.
635573732489696794

 

Pizza – a massa perfeita!

pizza3
Pizza Margherita

Meu amigo Alexandre Barcelos, mineiro, que vive na cidade de Leopoldina – MG é um pizzaiolo de mão cheia. Foi meu colega de turma de Mestrado e sempre quando nos encontrávamos ele preparava deliciosas pizzas, como essas das fotos…

Todos sempre pediam a receita, mas Alexandre não é de fazer anotações, ele gosta mesmo é de falar (muito) e ensina com maior gosto, mas nada de escrever…

Farinha de trigo, fermento e sal… segundo Alexandre, não é preciso muito mais do que isso para fazer uma boa massa de pizza, porém existem diversas dicas e macetes na hora de preparar que fazem toda a diferença.

Alexandre diz que procurou muitas variações na busca de uma massa leve, que ao comer não ficássemos com aquela sensação de empanzinamento e que desenvolvesse uma borda crocante, inclusive que pudesse ser feita facilmente em fornos convencionais. Aos  poucos foi aprimorando a técnica.

Pizza de Camarão com Catupiry

 

Quer a receita? Então, o máximo que conseguimos foi esse áudio dele explicando como se faz a massa. Ele é muito detalhista, não liguem, ouçam com atenção…



pizza2pizza1

E ele também é fera em eletrônica, especialista em recuperação de placas de circuitos integrados.

Você trabalha em voz alta?

Trabalhar em voz alta é a arte de tornar público o nosso trabalho. Um meio de dar visibilidade aos nossos colegas do que estamos fazendo. Sem dúvida é uma forma generosa de trabalhar.

Talvez você prefira trabalhar isoladamente em seu ritmo, porém quando atuamos em uma corporação e/ou instituição pode-se perder informações importantes. Outras pessoas deixam de se engajar no que estamos trabalhando e passam a sentir que estamos fazendo as coisas para eles, em vez de com eles. Trabalhar de forma isolada também pode levar à duplicação de esforços, porque as pessoas não sabem o que esta sendo desenvolvido.

Trabalhar em voz alta ajuda as organizações a serem mais adaptáveis

Um manual de procedimentos é um excelente modo de orientar os colaboradores de uma empresa e padronizar as tarefas. Embora prático, é necessário complementar o conhecimento escrito (seja ele de um manual, de um livro técnico, de um guia prático) com o aprendizado humano e o compartilhamento – isto é, precisamos mostrar mais uns para os outros o que fazemos e como fazemos nosso trabalho. Isso acelera a comunicação e ajuda a superar os desafios e gargalos, melhorando o desempenho e a produtividade.

Incentivar uma cultura aberta

As pessoas são motivadas a mostrar como fazer? A mudança da cultura pode levar um longo tempo, apesar de pequenas mudanças incrementais podem fazer uma grande diferença.

Comece por ajudar os nossos líderes (aqueles que dão o tom) ver os benefícios de trabalhar em voz alta, e incentivá-los a um modelo de comportamento que gostariam de inspirar em outros. Se serve de consolo, isso não é fácil!

Explicar um trabalho e os meios de fazê-lo em voz alta, inclusive com a ajuda de vídeos ou imagens, ajuda a tirar o conhecimento de uma caixa fechada e transmiti-lo entre as pessoas. Para ilustrar o que isso significa, pense: “Quantas vezes já seguimos uma receita exatamente como diz o livro e acabamos errando?”

A diferença é exatamente essa: uma receita em texto, como um conteúdo de treinamento, contém somente os conhecimentos explícitos; enquanto o compartilhamento do “trabalhar em voz alta” ajuda a facilitar o aprendizado dentro do próprio trabalho. Sem falar nas vantagens de maior engajamento das equipes.

imageÉ o que diz Jane Bozarth, autora do livro Show Your Work: The Payoffs and How-Tos of Working Out Loud (algo como Mostre seu trabalho: as recompensas e o modo de fazer de trabalhar em voz alta).

Tácito e explícito

Em seu trabalho, Bozarth aborda um importante “algo” que está ausente da maioria dos cursos, tutoriais e planos de ensino: o conhecimento tácito e as habilidades adquiridas a partir da experiência, ou seja o compartilhamento não apenas do que fazemos, mas como podemos fazer as coisas.

Isso pode ser feito por uma imagem, vídeo, blog, ou apenas falando para outros, descrevendo como você resolveu um problema, como você fixou a idéia, como você conseguiu uma solução alternativa, como você superou problemas para atingir um objetivo, propor uma solução para um problema de fluxo de trabalho, ou relacionar os passos que você seguiu para aprender a completar uma nova tarefa.

O livro oferece dezenas de exemplos de indivíduos e grupos que mostram seu trabalho em benefício de suas organizações e deles próprios, com dicas de como fazer isso.

Não importa se você seja um pedreiro ou físico, transmitir seu conhecimento tácito é “trabalhar em voz alta, tornando o trabalho visível e conhecido.”  Então, por que não trabalhar em voz alta?