Você trabalha em voz alta?

Trabalhar em voz alta é a arte de tornar público o nosso trabalho. Um meio de dar visibilidade aos nossos colegas do que estamos fazendo. Sem dúvida é uma forma generosa de trabalhar.

Talvez você prefira trabalhar isoladamente em seu ritmo, porém quando atuamos em uma corporação e/ou instituição pode-se perder informações importantes. Outras pessoas deixam de se engajar no que estamos trabalhando e passam a sentir que estamos fazendo as coisas para eles, em vez de com eles. Trabalhar de forma isolada também pode levar à duplicação de esforços, porque as pessoas não sabem o que esta sendo desenvolvido.

Trabalhar em voz alta ajuda as organizações a serem mais adaptáveis

Um manual de procedimentos é um excelente modo de orientar os colaboradores de uma empresa e padronizar as tarefas. Embora prático, é necessário complementar o conhecimento escrito (seja ele de um manual, de um livro técnico, de um guia prático) com o aprendizado humano e o compartilhamento – isto é, precisamos mostrar mais uns para os outros o que fazemos e como fazemos nosso trabalho. Isso acelera a comunicação e ajuda a superar os desafios e gargalos, melhorando o desempenho e a produtividade.

Incentivar uma cultura aberta

As pessoas são motivadas a mostrar como fazer? A mudança da cultura pode levar um longo tempo, apesar de pequenas mudanças incrementais podem fazer uma grande diferença.

Comece por ajudar os nossos líderes (aqueles que dão o tom) ver os benefícios de trabalhar em voz alta, e incentivá-los a um modelo de comportamento que gostariam de inspirar em outros. Se serve de consolo, isso não é fácil!

Explicar um trabalho e os meios de fazê-lo em voz alta, inclusive com a ajuda de vídeos ou imagens, ajuda a tirar o conhecimento de uma caixa fechada e transmiti-lo entre as pessoas. Para ilustrar o que isso significa, pense: “Quantas vezes já seguimos uma receita exatamente como diz o livro e acabamos errando?”

A diferença é exatamente essa: uma receita em texto, como um conteúdo de treinamento, contém somente os conhecimentos explícitos; enquanto o compartilhamento do “trabalhar em voz alta” ajuda a facilitar o aprendizado dentro do próprio trabalho. Sem falar nas vantagens de maior engajamento das equipes.

imageÉ o que diz Jane Bozarth, autora do livro Show Your Work: The Payoffs and How-Tos of Working Out Loud (algo como Mostre seu trabalho: as recompensas e o modo de fazer de trabalhar em voz alta).

Tácito e explícito

Em seu trabalho, Bozarth aborda um importante “algo” que está ausente da maioria dos cursos, tutoriais e planos de ensino: o conhecimento tácito e as habilidades adquiridas a partir da experiência, ou seja o compartilhamento não apenas do que fazemos, mas como podemos fazer as coisas.

Isso pode ser feito por uma imagem, vídeo, blog, ou apenas falando para outros, descrevendo como você resolveu um problema, como você fixou a idéia, como você conseguiu uma solução alternativa, como você superou problemas para atingir um objetivo, propor uma solução para um problema de fluxo de trabalho, ou relacionar os passos que você seguiu para aprender a completar uma nova tarefa.

O livro oferece dezenas de exemplos de indivíduos e grupos que mostram seu trabalho em benefício de suas organizações e deles próprios, com dicas de como fazer isso.

Não importa se você seja um pedreiro ou físico, transmitir seu conhecimento tácito é “trabalhar em voz alta, tornando o trabalho visível e conhecido.”  Então, por que não trabalhar em voz alta?

This entry was posted in Artigos, Livros & Revistas. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *