Por que viajar tanto?

Uma das coisas que mais gosto na vida é viajar…algumas pessoas não entendem o porque disso, e acham até uma besteira eu já ter programado todos os feriados, e as possíveis viagens que vou fazendo no decorrer do ano. Participo inclusive de diversas comunidades e redes sociais ligadas ao turismo.

Mas achei uma frase de Alain de Bouton, que acredito que retrata exatamente este sentimento de querer viajar a cada oportunidade.

Nossas viagens expressam como poderia ser a vida, fora das restrições do trabalho e da luta pela sobrevivência

viaoveio

Na verdade, todo mundo que viaja precisa de um motivo que justifique fazer as malas e se mudar, ainda que temporariamente, para uma nova “casa”, e algumas vezes pagar o aluguel de quartos que normalmente não conseguiria manter se fosse sua moradia fixa.

Muitos saem de férias para um longo passeio em terras diferentes; outros viajam a trabalho para daquelas reuniões intermináveis de negócios cujas discussões giram em torno dinheiro, projetos e negócios…

Há aqueles que vão a lugares distantes para rever a família e voltar às origens, mas há também os que vão em busca de origens. Nesse grupo, podemos incluir também os que saem de casa para visitar amigos, fazer amigos (e desfazê-los mais tarde).

Há os que vão ao encontro de paixões antigas, e os que vão em busca de uma nova paixão.

Outra categoria de viajante é aquele que deixa a monotonia da cidade para se satisfazer em meio às novidades do mundo consumista do Primeiro Mundo, ainda que esse fique no Terceiro Mundo (Bolívia, cá pra nós). O destino e suas atrações históricas e culturais não são relevantes, desde que haja um centro comercial abastecido de novidades e bugigangas inúteis que serão descartadas alguns meses depois.

Mas há também os viajantes aprendizes. Aqueles que nas férias escolares saem para…estudar. Consomem livros, compram dicionários, vão a museus e ficam em residências de locais.

Há também os que vão para ver nascer um novo membro da família, mas há aqueles que vão para enterrar um membro da família.

Há aqueles que vão para rir, e aqueles que vão para chorar; aqueles que vão consolar, e aqueles que querem ser consolados; há aqueles que vão, e aqueles que chegam; há os que decolam, e os que aterrizam; os que entram e os que saem.

Há também os que vão para ensinar enquanto os outros estão para aprender; há os que vão para falar, e os que vão para ouvir. Tem gente que não vai nem para falar, nem para ouvir: vai para sentir.

Há os que vão muito antes e só conseguem chegar muito tempo depois. Acho que sou uma soma, e uma multiplicação, de todos esses viajantes.

Uma pessoa pode precisar viajar apenas uma vez por ano, enquanto outra, uma vez por mês (ultimamente 2 vezes no mesmo mês 🙂 ).

Combinei com minha parceira, que iríamos nos planejar para que no máximo a cada 2 meses realizássemos uma viagem, e assim tem sido, com um pouco de planejamento, economia aqui e ali, é possível fazer isso. Viajar não é tão caro, mas você precisa priorizar algumas coisas na sua vida.

Para mim “viagem” significa o ato de interagir com pessoas de um outro local, absorver sua cultura, respirar sua essência, viagens cansam, desgastam, preenchem, sugam, esgotam. Viagens requerem muita atividade física e intelectual. Pressupõem-se exploração.

Viagem de Férias é diferente, significa relaxar e desligar-se, seja esticando-se numa praia, boiando numa piscina ou deitar-se em uma rede no meio do mato.

As viagens que gosto de fazer requer estar mais receptivo à exposição às belezas da natureza e à grandiosidade do que o homem construiu, e para isso em geral exigem muito mais caminhar, subir, descer, dirigir, pedalar, nadar, escalar e mergulhar em doses maiores do que quando estamos a relaxar.

A melhor razão para eu viajar não tem sido “apenas” descobrir novos lugares, mas descobrir o quanto este lugar pode me afetar intelectualmente e na minha relação com outras pessoas, e com minha rotina diária… é isso.

Os vídeos a seguir explicam bem isso:

4 thoughts to “Por que viajar tanto?”

  1. Ótima foto, semana passada estive aí em PEM, e tirei uma foto no primeiro avião que chegou por lá, e acredito que depois não sai mais!!! excelente post. Graça e Paz.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *