Howto – Pequeno guia sobre Linux (bash, comandos, permissões, rede, etc..)

by Jonas

Um pequeno guia sobre Linux (bash, comandos, permissões, rede, etc..)
Autor: João Renato Prim (malkavian)

Manualzinho criado apartir de anotações do João Renato, compiladas de e-mails da Dicas-L, sites como o LinuxBSD, oLinux, brLinux, RedHat, Conectiva, livros como o ”Usando e Configurando o Sistema Operacional Linux (de Adilson R. Bonan), Revistas como a Revista do Linux, Conexão Linux, e é claro, os próprios manuais dos comandos, do bash… Esse manual (que serve como guia) está mais direcionado mais pro pessoal que tá fugindo do ”outro” (migrando); detalhes do esquema de diretórios, atalhos e comandos básicos (alguns nem tanto) e comando de aplicativos como cdrecord, receitinhas de bolo no rpm…

DIRETÓRIOS

Para os que estão se iniciando no Linux, conhecer os diretórios pode ser um pouco difícil, as vezes por causa da sua estrutura peculiar (eu diria, mais organizada) ou por estarem migrando do ”outro”.

/ : raiz do sistema, o diretório que ”guarda” todos os outros diretórios. É um ”c: da vida”. Uma dica é que ele não possua nenhum arquivo além dos diretórios/arquivos (defalt) do sistema.

/bin : arquivos/comandos utilizados durante a inicialização di sistema e por usuários (após a inicialização)

/boot: arquivos utilizados durante a inicicialização do sistema

/dev : drivers de controle de dispositivos

/etc : arquivos de configurações do computador

/etc/sysconfig : arquivos de configuração do sistema para os dispositivos.

/etc/passwd : dados dos usuários, senhas criptografadas…

/etc/fstab : sistemas de arquivos montados no sistema

/etc/group : grupos

/etc/include : header para programação em C

/etc/inittab : arquivo de configuração do init.

/home : pasta pessoal dos usuários comuns. Um ”Meus Documentos da vida”

/lib : bibliotecas compatilhadas

/lib/modules : modulos externos do kernel usados para inicializar o sistema…

/misc : arquivos variados

/mnt : ponto de montagem de sistemas de arquivos (CD, floppy, partições…)

/proc : sistema de arquivos virtual com dados sobre o sistema.

/root : diretório pessoal do root

/sbin : arquivos/comandos especiais (geralmente não são utilizados por usuários comuns)

/tmp: arquivos temporários

/usr : Unix System Resources. Contém arquivos de todos os programas para o uso dos usuários de sistemas UNIX.

/usr/bin : executáveis para todos os usuários

/usr/sbin : executávies de administração do sistema

/usr/lib : bibliotecas dos executávies encontrados no /usr/bin

/usr/local : arquivos de programas instalados localmente

/usr/man : manuais

/usr/info : informações

/usr/X11R6 : Arquivos do X Window System e seus aplicativos.

/var : Contém arquivos que são modificados enquanto o sistema está rodando não é compartilhado em rede por ser específico de cada sistema, estando em constantes modificações.

/var/lib : bibliotecas

/var/local : arquivos variáveis de processos que estão rodando.

/var/log : arquivos de log do sistema

/var/run : arquivos úteis até o próximo boot (atualizações de softwares e kernel)

/var/tmp : arquivos temporários dos programas

O PATH

Para visualizar o path (caminho de procura de arquivos e comandos executáveis), usa-se o comando % echo $PATH. Todos os comandos executáveis serão executados ”se e somente se” estiverem armazenados na variável path. O comando que está no PATH é executado apartir de qualquer diretório (não importa se o usuário está no home ou no mnt ou qualquer outro). Para inserir um arquivo no path usa-se ”./” (Ex: ./arquivo ).

Para inserir o caminho para todos os usuários do sistema edite o earquivo /etc/profile ou /etc/bashrc.

Para alterar caminhos de um único usuário, edita-se o arquivo .bash_profile do diretório /home/ ou $HOME/.bashrc

Para adicionar caminhos novos ao ”caminho existente” use e precione

, vá até o fim da linha e adicione o novo caminho. Confira utilizando o comando % env.

Para adicionar novos comando com o alias faça:

% alias cdon = ”mount /dev/cdrom /mnt/cdrom” o comando %cdon (recém criado) será adicionado ao path e utilizará o script de montagem do CD-ROM.

ATALHOS DO BASH

Ctrl + Alt + BackSpace : reinicia o X

Ctrl + Alt + Del : reinicia o sistema em modo texto

Ctrl + Alt + F”x” : muda o shell (F1 – F6 (texto), F7 (gráfico))

Alt + F”x” : alterna o shell (modo texto)

Alt + B : move o cursor do console para a palavra anterior

Alt + F : move o cursor do console para a palavra seguinte

Ctrl + A : vai para o início da linha

Ctrl + E : vai para o fim da linha

Ctrl + C : pára o comando

Ctrl + D : logout

Ctrl + W : apaga do cursor até o início da palavra

Ctrl + U : apaga do cursor até o início da linha

Ctrl + K : apaga do cursor até o fim da linha

Ctrl + L : clear

Ctrl + R : busca incremental no hitórico de comandos

Ctrl + T : inverte caractere sob o cursor com o anterior

Ctrl + Y : re-inserir o último texto apagado

Ctrl + Z: colocar processo em background

Shift + Page(UP/DOWN) : navega pelo shell

!”x”: repete o último comando (onde ”x” é o comando a ser chamado – Exemplo: !mount)

TAB : autocompletar

COMANDOS DE INICIALIZAÇÃO

shutdown :Sintaxe: shutdown [atributo] [tempo]

Atributos: -r : reboot

-h : halt

-n : force (sem sincronizar)

-f : reboot rápido

-c : cancela shutdown corrente

-k : somente simula um shutdown

Tempo: now : executar no exato momento

Exemplo: Shutdown -r now

poweroff : halt

init 0 : halt

init 3: derruba o modo gráfico

init 5: iniciar o modo gráfico

init 6 : reboot

init q: examinar o arquivo /etc/inittab

init s: entrar em modo mono usuário (single mode)

exit: termina sessão atual

logout : termina sessão atual

COMANDOS DE SISTEMA

dmsg | less : mostrar lista de inicialização

arch : mostra a arquitetura do computador

uname : informações de sistema

Parâmetros: -m : hardware

-n : nome da máquina na rede

-r : versão do kernel

-s : nome do OS

-v : data de compilação do OS

-a : todas as acima…

uptime : mostra o tempo em que a máquina está no ar

free : mostra o uso da memória

vmstat : Mostra as estatísticas da memória virtual

ps -aux | grep tty : lista terminais em uso

tty : mostra em qual terminal o usuário atual está

stty : exibir ou escolher parâmetos do terminal

tset : escolher tipo de terminal

fgconsole : exibe o nº de terminais válidos

cu : chama outro sistema unix

type : informa o que faz um certo comando. Exemplo: type mount

time : mede o tempo gasto para executar um comando

cal : calendário

date: data e hora

who : mostra quem está na máqina no momento

whoami : mostra quem é você

last : informa a entrada e saída de usuários no sistema

lastlog : informa o último usuário que logou no sistema

at : agendar tarefas. Sintaxe : at [hora][data][comando]

crontab : programa tarefas.

Sintaxe: crontab [-parâmetros][usário][arquivo]

Parâmetros: -l : exibe crontab do usuário atual

-r : remove crontab do usuário atual

edita-se o arquivo /usr/spool/cron/crontab . São 6 campos separados por sendo que:

1º é o minuto

2º é o hora

3º é o dia do mês

4º é o mês

5º é o dia da semana (que começa com 0 = domingo)

6º é a tarefa ou script a ser executado

lspci : lista os dispositivos PCI

setserial : informações sobre as portas seriais

COMANDOS PARA REDES

ifconfig : configura a interface de rede

netconf : Interface gráfica do RedHat para confiurar a rede

netconfig : Outra interface gráfica para a configuração da rede

hostname : nome da máquina

netstat : Mostra informações sobre as conexões rede

domainname: Mostra ou ajusta o nome de domínio do sistema

route : Mostra e manipula a tabela de roteamento

showmount : Mostra informações de sistemas NFS montados sobre a rede

nmap: capta informações em conexões remotas, como o sistema operacional usado, portas abertas…

Sintaxe: nmap -O 200.0.0.5

tracerout : mostra o caminho percorrido do pc até um ”tal” servidor da internet

ping : informações de conexão

Parâmetros: -r : avisa se o pacote não chegar ao destino

-c”N” : onde ”N” é o nº de pings a serem executados

-s : determina o tamanho dos pacotes enviados, por defalt é 56bytes

rusers : mostra quem está usando as máquinas na rede

ruptime : informações sobre máquinas da rede local

Parâmetros : -a: usuários inativos a mais de uma hora

-l : ordena saída de informações de cada host

-r : inverte ordem de saída de informações

-t : (uptime)

-u: ordena saída por nº de usuários

rup: semalhante ao uptime, porém para outra máquina na rede. Sintaxe: rup

rwho : mostra o que está ”sendo feito” nos computadores da rede local (semelhante ao ruptime)

mail : rebe ou envia e-mail

smbclient : Cliente para redes SAMBA.

smbmount : Monta um sistema de arquivos SAMBA (Windows)
COMANDOS DE AJUDA

man: manual de ajuda. Exemplo : man mount

xman : man em modo gráfico

info : como o man, porém com links nos textos

makewhatis : levanta banco de dados para o comando apropos

apropos:levanta respostas de comandos desconhecidos, antes deve-se executar makewhatis. Exemplo :

% apropos compiler (serão localizados arquivos que contenham a descrissão de compiler).

help: ajuda do shell atual

COMANDOS PARA MANIPULAÇÃO DE DIRETÓRIOS

cd : entra no diretório

Atributos: : volta ao último diretório buscado

~ [nomedapastadousuario] : vai para a pasta do usuário

/ : diretório raiz

.. : diretório ”acima”

ls : lista arquivos e diretórios

Atributos : -C : exibe em colunas

-R : modo recursivo

-a : mostra ocultos

-l : mostra propriedades

mkdir : cria um diretório

rmdir : remove um diretório (atributo : -R para deletar diretórios não vazios)

pwd : mostra o diretório atual

cp : copia diretórios

Atributos: -f : não perguta para sobrescrever

-i : pergunta para sobrescrever

-r : cópia recursiva

mv : movimenta diretórios (mesmos atributos do cp)

du : mostra hierarquia

Atributos: -a : informações de todos os arquivos

-b : mostra em bytes

-k : mostra em kbytes

-s : lista o total de cada argumento

-x : ignora diretórios com sistemas de arquivos diferentes

-S : apresenta o tamanho de cada diretório separadamente

diff : exibe diferenças entre 2 arquivos ou diretórios

diff3 : exibe diferenças entre 3 arquivos ou diretórios

ln : link simbólico para arquivos e/ou pastas. Exemplo: ln linux-2.6 kernel-atual

COMANDOS PARA MANIPULAÇÃO DE ARQUIVOS

bash : executa o bash

basename :exclui o sulfixo do arquivo

fsbrowser : encontra arquivos ou diretórios no pc

head : lista a primeira parte dos arquivos

tail : o contrário do head

cat : exibe conteúdo do arquivo ou direciona-o para outro

Exemplos: cat /home/fulano/contato (exibe o conteúdo do arquivo contato)

cat contato1 > contato2 (faz uma cópia do arquivo contato)

cat contato1 >> contato2 (adiciona um arquivo ao outro)

cat musica.wav > /dev/dsp1 (direciona o som para o dispositivo de audio)

cat arquivo1 arquivo 2 | gzip > arquivo1e2.gz (compacta arquivo1 e arquivo2 num só arquivo)

tac : inverso do cat

file : identifica o tipo de arquivo

find : localiza arquivo ou diretório.

Sintaxe: find [opções] [dados] [opções]

Opções: -name: parâmetro seguido do arquivo a ser procurado

-print : mostrar resultado na tela

-exec ”comando” : executa um comando

-ok : idem a exec, porém pergunta antes de executar o comando

awk : procura por um modelo apartir de um arquivo

bdiff : compara 2 arquivos grandes

bfs: procura um arquivo grande

diff : exibe diferenças entre 2 arquivos ou diretórios

uniq : compara 2 arquivos, exibe as linhas incomparáveis do arquivo

diff3: exibe diferenças entre 3 arquivos ou diretórios

cmp : compara 2 arquivos, mostra a localização da primeira diferença entre eles

comm: compara 2 arquivos para determina quais linhas são comuns entre eles

split : dividir um arquivo

more e less : filtros depaginação

Exemplos : more /etc/fstab

ps -aux | less

ls : lista arquivos do diretório

Atributos : -C : exibe em colunas

-R : modo recursivo-a : mostra ocultos

-l : mostra propriedades

cp : copia arquivos

Atributos: -f : não perguta para sobrescrever

-i : pergunta para sobrescrever

-r : cópia recursiva

mv : movimenta arquivos (mesmos atributos do cp)

rm : remove um arquivo

wc: (não cacete! não é banheiro não!) esse aí lista as propriedades dos arquivos

Atributos : -l : nº de linhas do arquivo

-c : n de cracteres

-w : nº de palavras

-b : nº de bytes

grep : uma espécie de busca. Exemplo: % grep tty

od : mostra o arquivo em formato octal

ln : link simbólico para arquivos e/ou pastas. Exemplo: ln linux-2.6 kernel-atual

COMANDOS PARA COMPACTAR

Sem descrissões… todos fazem a mesma coisa, só que em formatos diferentes, dependendo da ocasião um pode ser melhor que o outro… depende do ”gosto” de cada um…

compress/ uncompress : compacta / descompacta em .z

Sintaxe : idem a bzip2

Atributos: -f : compacta em background

-c : desmpacta na tela

-V : informações sobre o arquivo

-v : informações sobre a compactação corrente

-d: junto dom o compress, descompacta o arquivo

tar : Atributos: -t : lista conteúdo do arquivo tar

-x : extrai arquivos

-c : cria um arquivo tar

-d : compara um arquivo tar com arquivos atuais

-r : anexa arquivos no fim do arquivo tar

-u : analiza arquivos

-A : anexa outros tar

-v : mostra informações de processamento

Exemplos: tar cvM -L 1350 -f /mnt/floopy/partes.tgz grande.tgz : quebra um arquivo grande em

partes menores.

tar pvfx arquivo.tar: extrai tar

tar zpvfx : extrai tar.gz ou tgz

tar jpvfx : extrai tar.bz2

gzip : compacta arquivos e nomes de arquivos com mais de 14 letrras

Atributos: -d : descompacta

-f : compacta

-l : informações sobre arquivo compactado

-r : recursivo

gunzip : descompacta

Exemplo: gzip -c arquivo1 > arquivo1e2.gz ; gzip -c arquivo2 > arquivo1e2.gz ou

cat arquivo1 arquivo 2 | gzip > arquivo1e2.gz

(compacta arquivo1 e arquivo2 num só arquivo)

bzip / bunzip: compacta / descompacta

bzcat : descompacta na tela do sistema

bzip2recover : recupera arquivos danificados quando for possível

Atributos : –1 : (1, 2,3…9) sendo que 9 é o maior fator de compactação

-v : informações de processamento

-c : descompacta na tela do sistema

-d : descompacta

-t : verifica integridade do arqivo

-f : sobrescreve

-s : reduz us da memória exigida

cpio: executa funções equivalentes a arquivos de dados em formato cpio ou tar, e contém informações sobre o arquivo. Seus modos de arquivamento são entrada, saída e passagem.

Modo de entrada: extrai arquivos de um arquivo maior, caso não for inserido um padrão, todos são extraídos.

Modo de saída: copia os arquivos em um arquivo maior

Modo de passagem : combina os modos de entrada e saída sem usar modo de arquivamento, copia

uma árvore de diretórios para outra

Parâmetros: -0 : (saída / passagem) lê arquivo terminado em caractere nulo; ao invéz de nova linha

-A : (saída) adiciona um arquivo existente; deve estar especificado -0 ou -F

-d : cria diretório (se for preciso)

-H : indica o formato do arquivo maior

-i : (entrada) extrai

-o : (saída) cria

-t : (entrada) lista tabela

-u :sobrescreve sem perguntar

-v : lista arquivos processados

USUÁRIOS E GRUPOS

useradd : adiciona usuário

userdel : exclui usuário

username : exibe nome do usuário logado no momento

users : exibe os usuários logados no momento

usermod : Modifica um usuário.

id : identificação do usuário e grupos a que pertence

passwd : adiciona senha em usuário já cadastrado. Exemplo: % passwd fulano

chpasswd : muda senha de usuário

groupadd : cria grupo

groupdel : exclui grupo

groups : lista grupos

groupmod : Modifica um grupo

newgrp : altera identificação do grupo

chgroup : altera propriedade do grupo

chown : altera usuário/propriedade do grupo de cada arquivo especificado. Ex: % chown -R root /home

sg : executa comando como se fosse de outro grupo

su : usado para ganhar permissão de root.

wall : Manda uma mensagem para todos no terminal.

PERMISSÕES

Primeiramente precio dar umas breves explicações sobre permissões, dono, grupo e coisarada de esquemas… Vou mostrar permissões no modo ”literal” e no modo ”octal”, que são mais fáceis e mais usadas, porém pode ser feito com aplicativos, cliques no botão direito e coisarada, se a distro tiver tal recurso. Para todos os modos usa-se o comando:

% chmod [opções] [permissão] [diretório]

Atributos: -v : mostra arquivos processados

-f : não mostra mensagens de erro

-c : mostra somente arquivos com permissão

-R : recursivo

Dono: é o usuário que criou o arquivo

Grupo: é um recurso para que vários usuários tenham como ”usar” um mesmo arquivo

Outros : não são donos e nem pertencem ao grupo do arquivo

ESQUEMA USADO NO % ls -l

r : permite leitura

w : permite edição/gravação

x : permite executar arquivos executáveis. Se for um dietório, pode ser acessado pelo comando % cd

Se houver 1 ”d”, indica que é um diretório; se houver um ”” indica um arquivo

Exemplo: -rw——- (somente o dono pode ler e gravar no arquivo)

MODO LITERAL :

Esse é o modo em que o sistemas nos mostra as permissões num % ls -l, mas esse é o mais ”chatinho” pois é feito linha por linha.

[a]LL : todos

[g]roup : grupo

[o]thers : outros

[u]ser : dono

[+] : adiciona permissão

[-] : remove permissão

Com o comando % chmod ficaria assim:

% chmod a -rx /mnt (retira a permissão de leitura e execussão para todos no diretório /mnt)

% chmod o +r /mnt (da permissão para ”outros”, no caso os que não pertencem ao grupo do dono)

MODO OCTAL :

É o jeito mais fácil e rápido de ”adminitrar” permissões, pois usa números de 0 a 7 para dar permissões para dono, grupo e outros numa única linha de comando. É uma verdadeira economia de tempo e paciência… 🙂

Depois do % chmod usa-se 3 dígitos (que como já disse, variam de 0 a 7). O 1º indica a permissão do dono do arquivo, o 2º indica o grupo do dono e o 3º indica os outros usuários…

DÍGITO

PERMISSÃO

(UGOA)

0

Nenhuma

1

Executar

–x

2

Escrever

-w-

3

Escrever/Executar

-wx

4

Ler

r–

5

Ler/Executar

r-x

6

Ler/Escrever

rw-

7

Ler/Escrever/Executar

rwx


Exemplo: % chmod -R 750 /mnt
(Dono: pode Ler, Escrever e Executar; Grupo: pode Ler e Executar, e os outros não podem nada) para o diretório /mnt e todos os seus subdiretórios.

COMANDOS PARA MANIPULAR IMPRESSÃO

lpq : mostra trabalhos de impressão atual

lpr : copia um arquivo para a linha da impressora

lprm : remove trabalhos de impressora

lpstat: informações

Atributos: -a : lista relatórios enviados para a impressora

-p : lista o estado das impressoras

-s : sumário do estado das impressoras

-R : mostra o nº de cada jobna fila de impressão

COMANDOS PARA MANIPULAR PROCESSOS

ps -aux | less: mostra o PID dos processos

top : mostra todos os processos ativos no pc. (em modo grafico usa-se ktop (do kde) gtop (do gnome)…)

kill: mata um processo pelo PID. Sintaxe: kill [PID]

killall : mata processospelo nome. Sintaxe: killall -HUP [nome]

sleep : torna um processo inativo por determinado tempo

nice : prioridade de execussão (-19 é o máximo e 19 é o mínimo). Sinaxe: nice [opções][comando]

& : quando colocado no fim da linha, executa o processo em 2º plano (ou background se preferir)

jobs : exibe processos em 2º plano

bg : ao rodar um processo tecle Ctrl + Z para congelar o processo, depois digite bg para o programa voltara ”rodar” em 2º plano.

fg: para fazer o processo voltar ao 1º plano. Sintaxe: fg [nº do processo]

nohup : logout sem matar processos no 2º plano. Exemplo: nohup cc program C & ; logout

COMANDOS DE MANIPULAÇÃO DE MÍDIAS

cfdisk : particionador

mke2fs : formata o hd. Exemplo: mke2fs -j /dev/hda1 (formata a primeira partição do hd primário em ext3)

dosfsck : Verifica e repara sistemas FAT do DOS

dumpe2fs : Faz o backup de blocos do HD e grupos.

e2fsck : Verifica um volume ext2 em busca de erros.

E2label : Muda o nome de uma partição ext2.

dump : Usado para fazer o backup de um sistema ext2. O complemento deste comando é o restore

restore : Usado para restaurar um sistema ext2.

badblock: busca por setores ruins

fsck
: faz reparos na partição

df : mostra espaço usado, livre e a capacidade das partições do HD

mount : monta dispositivo. Exemplo: mount -vfat /dev/hda1

umount : desmonta dispositivo. Exemplo: unmount /mnt/cdrom

supermount : monta dispositivos automaticamente. Sintaxe: supermount [opções] [/local/do/dispositivo]

mformat : formatação de baixo níveis em disquetes no formato M$-DOS

fdformat : formatação de baixo níveis em disquetes. Exemplo: fdformat /dev/fd0 H1440


GRAVANDO CDs

Aqui eu vou falar de gravação pelo console mesmo… linhas de comando… as vezes até acaba sendo mais fácil… Ah! Essas aí foram inteiramente retiradas de um e-mail que recebi da Dicas-L 🙂

Cds de Áudio:

% cdrecord dev=0,0,0 -pad -dao -v -eject -audio track01.wav…trackN.wav

-eject : ejeta no final

-dao : para não ficar com muito espaço entre as faixas

-pad : enche (se necessário) os arquivos com o número correto de espaços (para o aparelho de som ler em múltiplos de 2352 bytes)

Convertendo mp3 para cdr:

mpg123 –cdr – track1.mp3 > track1.cdr

grave usando -audio para indicar cada trilha

nice -19 cdrecord -eject -v speed=8 dev=1,1,0 -audio track1.cdr

track2.cdr…

Decodificar mp3 direto no CD:

for | in*.mp3

do

mpg123 –cdr – ”$|” | cdrecord -dummy – audio -pad -nofix –

done

cdrecord -fix

Parâmetro: -dummy : Simulação

Criando ..iso:

mkhybrid -r -j -o imagem.iso diretório_dos_arqivos

Testando o .iso antes de gravar

mount -t iso9660 -o loop imagem.iso /mnt/iso

Fazendo uma cópia fiel de cd pra cd:

cdrecord -v speed=8 dev=1,1,0 -isosize /dev/cdrom

Fazendo CD de Boot:

Crie a imagem apartir de um disquete de boot

dd if=/dev/fd0 of=boot.img bs=18k

Apagando CD-RW

Para sobrescrever um CD-RW use o parâmetro blank=fast no cdrecord

CD-ROM de audio e dados:

cdrecord -v speed=8 dev=1,1,0 -data imagem.iso -audio track1.cdr

track2.cdr

EMULADORES*

* os ”comandos” citados nesse tópico necessitam do aplicativo instalado (as vezes vem com a própria distro… dá uma ”baga no pc pra ve se tem… heheh)

* o Wine não se ”considera” emulador como seu nome diz (Wine Is Not Emulator), mas… acho que aqui é melhor pra falar desse treco.

* Leia (!) os arquivos de ajuda de cada ferramenta asseguir citadas, isso impede que a ”pecinha” (que tá olhando pro pc) cometa algum erro e venha com a mensagem : – ”Ai meu Deus, não funciona… Ahhhhhh”

WINE : esse daí emula o rWindows. Pode emular programas que ESTÃO numa partição com Windows ou num pc SÓ com linux (basta configurar… não vou dar muitos detalhes porque é meio que MUITA COISA). Depois de configurado certinho é só dá um % wine calc (pra abrir a calculadora do rWindows… Tá, foi um exemplo ”meio” inútil, mas foi só exemplo). Dra pra rodar até jogos…

DOSEMU : emulador de programas para M$-DOS… Sintaxe: % dos (ou xdos no modo gráfico)

MTOOLS : emula comandos do M$-DOS (pra que diabos alguém ia querer isso? Sei lá) usa-se ”m” antes do comando. Exemplo: mtools , mdir, mdel

USANDO O RPM

RPM é um pacote (normalmente pré-compilado para cada distro) de fácil instalação. Com uma só linha de comando ou cliques no rato são suficientes para instalar e não se incomodar com compilações e coisarada…

Sintaxe : rpm [parâmetros][opções][pacote.rpm]

Parâmetros : -i : instala

-e : desinstala

-q : consulta

-v : verbose

-h: exibe ”#” como porcentagem a medida que o pacote se instala

showrc : exibe

checksig : verifica assinatura

setugids [especificações do pacote] : ajusta UID

etperms [especificações do pacote] : ajusta permissões

+ : após de um parâmetro, indica que pode haver repetição

Mas não é só isso minha gente!!! (aeeeeeeeeee!!!). Tá aí algumas receitas de bolo (mas não deixe dar usar um % man pra REALMETE aprender os segredos milenares – mas nem tanto – desse desse comando).

Obtendo instalações de pacotes instalados:

% rpm -qa | sort | less : lista em ordem alfabética os pacotes instalados

% rpm -qa | wc -1 : mostra a quantidade de pacotes instalados

% rpm -qf /usr/bin/nomedopacote.rpm : mostra os pacotes pertencentes ao arquivo

% rpm -qa | grep gimp: lista todos os arquivos que correspondem ao gimp

Para pacotes não instalados:

% rpm -qip /…/…/pacote.rpm : informações do pacote

% rpm -qdp /…/…/pacote.rpm : encontra documentação

% rpm -qp /…/…/pacote.rpm : mostra como será o nome do pacote

% rpm -qlp /…/…/pacote.rpm : lista os arquivos do pacote

% rpm -qcp /…/…/pacote.rpm : lista arquivos de configuração dos pacotes

% rpm -q –whatrequires /…/…/pacote.rpm : mostra o requerimentos

Desinstalação depacotes:

% rpm – e [opções] pacote.rpm

Opções: –allmatches : remove todas as versões do pacote

–noscripts : não executa scripts de pré/pós instalação

–nodeps : verifica se as dependências serão quebradas

–test : somente simula a desinstalação

Instalação/Atualização de pacotes:

% rpm -ivh [opções] pacote.rpm : instala

% rpm -Uvh [opções] pacote.rpm : atualiza

Opções: –force : sobrescreve

–noscripts : não executa scripts de pré/pós instalação

–nodeps : verifica se as dependências serão quebradas

–excludedocs : não instala arquivos de texto

–test : somente simula a desinstalação

–percent : exibe porcentagem

–oldpkage : atualiza para versão anterior

–replacepkgs : substitui arquivos instalados

–allfiles : instala atualiza pacotes faltantes

% whereis : mostra a localização dos binários do pacote instalado

% rpm -ivh /…/…/gimp-* : instala todos os pacotes do gimp simultaneamente

Instalação por FTP:

% ftp://: @host /…/…/arquivo.rpm

Opções: –ftpproxy : a ”máquina” do host citado será o servidor proxy para tranferências

–ftpport: Especifica uma porta TCP ao invéz de FTP (porta 21). É cara, troca o xxx pelo número da porta.